Sidebar Ads

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Diário da Indignação #10

Read in english
HÁ ANSIEDADE E HÁ ANSIEDADE
 
Depois de finalmente ter vergonha na cara por já não vir aqui há algum tempo, aqui estou.
A verdade é que já tenho alguns posts pensados mas, como já sabem, finais de semestre são complicados e quando finalmente temos um tempinho "livre" estamos mortos de cansaço. Verdade ou mentira?
 
Bem, hoje venho falar-vos de ansiedade!
Tive necessidade de trazer este tema à baila pois tenho observado, tanto na blogosfera como no youtube, bastantes testemunhos de jovens que falam sobre e descrevem alguns episódios de ansiedade. Posso estar a ser injusta mas, na maioria das vezes, essa descrições são sempre melancólicas, com títulos sugestivos como "o meu segredo" e ser for em vídeo, teremos sempre uma músiquinha sentimental a criar ambiente. 

EU TENHO PROBLEMAS DE ANSIEDADE! Talvez seja um espécime raro, daqueles que encara o problema com sendo isso mesmo, um problema  e que precisa de uma solução.

Sempre fui um pouco stressada e preocupada em fazer as coisas bem feitas, no entanto desde os meus 16/17 que comecei com alguns sintomas que não seriam normais. De início não liguei e continuei a fazer a minha vida normalmente. No entanto, chegados os exames do final de secundários e estando na mesma altura em eminência de realizar também o exame de condução a "coisa" começou a tomar outras proporções. As pequenas tonturas e visão turva já eram familiares, mas foi quando comecei a - literalmente - paralisar, não conseguir formar uma frase e desmaiar que levei o assunto mais a sério. Neste momento ainda não sei bem se isto é só ansiedade pois os sintomas vão um pouco para além do "dito normal" mas, por alguma razão, ista incerteza não abala a minha vida. Claro que ainda tenho crises, claro que tomo medicação mas, enquanto espero por respostas médicas, vou vivendo com isto - mais ou menos controlado - lado a lado. 
 
O que quero transmitir com este texto é Força! Como digo no título, "Há ansiedade e há ansiedade", o que quer dizer que os casos são diferentes e muitas vezes haverá alguém em pior condição do que nós. É por isso que não sinto no direito de falar disto como se fosse a pior coisa do mundo, porque não o é.

Para todos os que sofrem com este mal, que por vezes insiste em condicionar-nos a vida, saibam que também eu estou convosco. Hoje em dias temos imensos profissionais que nos podem ajudar, assim como amigos e família.

O importante é não nos deixarmos abater e curarmos-nos de dentro para fora!
 
Beijinhos
 
 
 
Maltinha, não esqueçam do SUPER GIVEAWAY que dura até dia 31!
 
 
 

7 comentários:

  1. Os problemas só são a pior coisa do mundo, quando nós metemos na cabeça que são. Tal como tu disseste, o importante é não nos deixarmos abater. Lutar por uma boa qualidade de vida e deixar que a felicidade dos pequenos momentos supere todos os medos e receios.

    Beijinho
    Daniela
    Blog | Youtube | Facebook | Instagram | Snapchat: cidadedopecado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, servirmos-nos de todos os apoios que consigamos por há sempre alguém disposto a ajudar. Por vezes temos de procurar.

      Eliminar
  2. Final de semestre, sei tãooo bem o que é isso! Calma e boa sorte :)

    ResponderEliminar
  3. Parar, respirar fundo (mas saber respirar mesmo!!) e fazer isto várias vezes!
    Beijinho
    elisaumarapariganormal.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim :) Parecendo que não ajuda. Parar e respirar :)

      Eliminar
  4. O final de semestre aumenta sempre os níveis de ansiedade e andamos sempre todos a mil. Muita calma e muita sorte para ti :)

    Beijinhos, Dalila ♡ | The Lost Louboutin Blog |

    ResponderEliminar